texto | versão mobile
RadioramaBrasil.com
Arquivos Autores Sobre Fale Conosco Home

Forfun – Polisenso

 
» 17 de novembro de 2008

Micael escrevendo:

“Polisenso” foi lançado aos sete mares da Web na madrugada de sexta para sábado. Site congestionado. Ok, ninguém manda colocar 102 megas de um disco pra baixar em um servidor único, poderiam muito bem usar o RapidShare, 4Shared ou até BitTorrent, que aguentaria facilmente o tranco da demanda. Mas era o que tinha. Levei algumas horas até conseguir começar o download, mas foi tranquilo.

Nesse meio tempo chega no meu e-mail a newsletter do Pílula Pop. (que andava meio sumida, aliás). Dentro dos destaques, o show do R.E.M. Para minha surpresa, não era uma resenha comum. Braulio Lorentz, antes de ir direto ao assunto, relembra de uma entrevista por telefone feita com o baixista do grupo, Mike Mills:

“Os jornalistas partiram para as referências mais fáceis. Preferem comparar em vez de descrever. Dizer que o disco remete ao R.E.M. de 1986 ou de 1990 não é certo. Não é um bom jornalismo, mas é o caminho simples.”

Com o mesmo espírito que reinou naquela resenha do início ao fim, quero colocar esta pra conduzir o seu fio de pensamento. Poucas bandas atuais como o Forfun passaram por tantas modas e modismos, momentos e cenas, se tranformando tanto. Sendo assim, seria muito fácil e ao mesmo tempo muito injusto se apegar a tantos momentos temporais e fases distintas. Quero prosseguir aqui falando do que se sentiria de um disco, assim sendo, “Polisensorial”.

ForFun - PolisensoTadashi escrevendo:

Foi de queimar a língua. Não que se torcia por isso, mas tudo indiciava que que o Forfun ia lançar um CD fraco, sem a raíz que influênciava a banda (agora as raízes são outras, literalmente), e com letras forçadas, como em Gruvi Quântico, lançada em 2006, para o DVD da MTV.

Não tem como negar, desde o lançamento do Teoria Dinâmica Gastativa em 2005, o Forfun mudou muito. Tanto musicalmente, como os próprios integrantes passaram a ver o mundo de uma forma diferente, e isso conseqüentemente influenciou nas músicas. Em 2005 o CD era bem dividido entre músicas mais antigas, que falavam basicamente de relacionamentos ou apenas ‘curtição’, e músicas mais novas de um Forfun que em fase de transição, como Viva La Relovolución, Mentalmorfose e Hidropônica, que tratavam de assuntos mais sérios.

Os anos passaram e o Forfun de 2007 já se via totalmente diferente, já existiam bem mais que 4 integrantes no palco, subiam também instrumentos de metal (sem trocadilhos com heavy-metal, ok?) e algumas músicas ganhavam um clima de Ska. (O que não me agradou nem um pouco, até porque as músicas antigas foram ‘estragadas’ pela banda.)

No Fotolog a banda passou a falar mais de problemas sociais, ambientais e qualquer outra coisa que viesse à mente. O que não adianta muito para uma geração perdida, e quem apenas lê grego, e pega aquilo que se lê, e fala besteira (torçam para que eu esteja errado). Não achem estranho fãs falando como os integrantes da banda, pelo Orkut, Fotolog e MSNs da vida.

2008 era ano do lançamento do CD novo do Forfun e eu queria mesmo era passar longe dele, até porque Ramirez e Fresno também lançariam seus respectivos CDs no mesmo ano. Um conseguiu, já o outro, deixou para o ano que vem (e lá se vão 5 anos sem um CD do Ramirez). Assim, meses atrás o Forfun lançou um single do CD (Sol ou Chuva) na internet junto com o seu clipe. Vieram na mesma época também informações sobre o CD, como que ele estaria completo pra download na internet. Muito bacana. E olha que aqui fala um fã de CD.

O single não me agradou, desde a letra, até sua climinha totalmente reggae. Bem, eu já esperava por isso, então não foi surpresa alguma, apenas mais uma certeza de que uma tragéria estaria por vir (E olha que nesssa época ainda esperava pelo CD do Ramirez em 2008).

Da noite para o dia, fiquei sabendo do lançamento do CD. Muitos problemas pra baixar, mas enquanto deixei baixando, fui pra rua e quando voltei, já tava tudo resolvido.

Conversando com o Micael, ele disse que tinha ouvido Sigo o Som primeiro, e disse que a nova mixagem tava bem melhor. Eu não gosto de começar ouvindo um CD por alguma faixa que não seja a primeira, mas a curiosidade falou mais alto, e lá fui eu ouvir Sigo o Som e Gruvi Quântico. A mudança foi pequena, mas melhorou bastante, tanto uma como a outra música. Pra quem não gosta de regravações, e pega no pé de todas elas, pode ter certeza que gostei dessas duas.

Micael:
Por isso que eu sempre falo: Mixagem é coisa séria!

Tadashi:
Agora vamos partir do início. O CD começa num reggaezinho, e com uma letra bem animadinha, junto nós temos as programações que estão sensacionais, sem aquela papagaiada esperada por mim. Aí Sim tem muita força, e potêncial pra fazer o mesmo sucesso que a faixa de abertura do CD anterior. A pegada não muda muito da primeira para a segunda faixa, a banda manteve a mesma energia da primeira música, para a música O Viajante, além da letra que é muito boa e que me é bem familiar, a participação das crianças no final da música, com certeza é um ponto a ser destacado do CD, você até pensa: “Mas elas só cantam isso mesmo?”.

Micael:
Pode-se até falar várias vezes em reggae e dub nesse disco, mas a pega da rock ainda marca presença. Antes de se falar em uma mudança do Forfun, talvez seja o momento da gente pensar em soma de valores: Pouco se perdeu e muito se acrescentou.

Tadashi:
“Duas libélulas passaram, voando e anunciando a melodia celeste”, tá de brincadeira comigo né? Besteirinhas como essa, vão rolar pelo CD todo, não é ruim, mas é exagerado. Então, vou criticar essas coisas logo no começo, pra não precisar fazer isso depois. Sol ou Chuva vem logo depois, e acho que junto perdeu um pouco daquela cara de single que tinha antes. Depois de ouvir 2 músicas tão legais, não sei como o Forfun escolheu logo ela para ser single. Talvez pelo simples motivo dela ficar grudada. Eu não gostei dessa música, mas na segunda vez que ouvi já sabia cantarolar.

Panorama
e Dia de Alívio, tem lá sua mensagem e crítica, mas conquistam bem mais pelos seus refrões que podem dar certo ao vivo. Só acho que Dia de Alívio, não faz o tipo ‘Forfun ao vivo’, mas acho que seria uma boa ao vivo.

Assim como no Teoria Dinâmica Gastativa, o Polisenso tem duas faixas instrumentais, a primeira dela é Colírio, que é interessante por um tal instrumento de som engraçado, mas como não sou um profundo conhecedor de instrumentos musicais, deixamos apenas assim. A outra faixa instrumental é Uma Noite em Havana, e se você tem uma cabeça muito boa, com certeza a música faz sim lembrar vielas de Cuba.

Micael:
Só se você tiver algum problema de audição ou você seja um robô… Eu sei, não é da minha conta o que algum artista faz em algum disco, o disco é deles e ninguém tasca, etc e tal, mas essa “noite em Havana” me fez ter pesadelos… Do tipo ter problemas com Raúl Castro…

Tadashi:
Sobre Gruvi Quântico acho que não preciso dizer muita coisa. Porém, Cósmica, merece muita atenção, certamente é a melhor música do CD. Provavelmente tem influência do charme da Música Popular Brasileira, e junto com isso, não só lembro do meu Rio de Janeiro, como de várias história. Essa é uma das músicas que não consigo imaginar o Forfun tocando ao vivo, mas seria bem bacana, mesmo eu achando essa cena bem bizarra.

Dos nomes das músicas Escala Latina foi a que achei mais interessante, com isso dei uma atenção maior na hora de ouvir, e a mistura de história com crítica não ficou tão legal assim, mas todo clima latino das guitarras é uma atração à parte.

Micael:
Adoraria ignorar esse ponto, mas não dá. Infelizmente não foi dessa vez que se registrou um disco tão maduro musicalmente sem letras piegas gratuitamente. Chama o cursinho de história aí! E talvez um de geopolítica também, pra entender que nem tudo na vida é uma verdade absoluta. Ah! Acho que isso dá pra virar letra de música também…

Tadashi:
Dando a cara final do CD, a já conhecida Sigo o Som, junto com Sócrates e a Deus Música, e Cigarras, vi muita gente falando que essa última era a melhor do CD, não sei dizer ao certo se concordo com isso, é uma música bem legalzinha, mas pra ser a melhor acho difícil.

O CD ainda conta com 3 faixas bônus, todas remixadas e faixas anteriores (Dia do Alívio, O Viajante e Suave).

Micael:
Por mim, elejo “Eremita Moderno” e “O Viajante” como as melhores do disco. Aliás, “O Viajante” vagamente me lembra o clima que “Hidropônica” causou no disco anterior. Forfun estaria descobrindo seu filão pra criar hits? Se bem que o conceito de “hit”, com o público que atinge, aqui é algo muito específico pra ser analisado

O veredito final

Tadashi:
Letras inteligentes, programações certas na hora certa, bons vocais divididos entre o Danilo e o Rodrigo, que também está muito bem nas 4 cordas, e um CD que prova e me faz falar bem do amadurecimento do Forfun. Preciso colocar mais algum argumento?

Micael:
A fusão músical é algo de encher os ouvidos (Não tem aquela expressão “encher os olhos”? Adaptei então…). Ao contrário do que a gente pode ver no que se chama de reggae no Brasil (ouvi alguém ai dizer Armandinho?), a base sólida que o Forfun construiu durante a sua fase rock se funde com ritmos do dub, ska, às vezes até lembra a cadência do RAP.

Danilo soma pontos preciosos na sua técnica vocal assim como Rodrigo soma também, por tomar a coragem de assumir os vocais em “Eremita Moderno“, além dos tradicionais backing-vocals de sempre.

Quanto às letras, chegaram a quebrar a mesmice musical de temas, mas como tudo que se exagera, enjoa. Overdose politicamente-correta e papo-cabeça-ao-pé-do-boldo chegam a me causar crises de alergia.

Mas não desista! Aprecie “Polisenso”, mas com bom senso e moderação.

***

Para baixar o CD com encarte e capa, ou apenas ouvi-lo, acesse o site oficial do Forfun.

33 manifestações:

  1. -diogo 17/11/2008 - 19:59

    sobre essa de “O Viajante” lembrar “Hidropônica” não consegui associar.. mas os começos das musicas “Eremita Moderno” e “Gruvi Quantico” (a faixa antiga, q veio no CD da MTV), são idênticas, perceba.. haha..

    e nossa Tadashi, Cosmica eh a melhor musica do CD ?
    POAIEOP brincou, neh ? Oo
    pra mim, tá parecidíssima com Jorge Vercilo.. nem gostei..

    fora isso, a resenha tá legal.. :]
    e ah, achei melhor a primeira, “Ai sim”..

  2. Róv 17/11/2008 - 21:08

    Bom, eu já sabia que quando o CD saísse o Tadashi não seria tão “duro” com ele. Sempre soube que ele gostaria, por mais que viesse a ser uma bosta.
    Já o Micael até me surpreendeu em alguns pontos, como ter gostado de “Eremita Moderno”.

    Já disse tudo sobre o CD, divide-se em 3 partes. 1/3 de música realmente boa que lembram que o que se está ouvindo é Forfun, 1/3 de músicas monótonas com letras fracas e o outro 1/3 de músicas exageradamente ruins.

    Mas gostei da resenha, vocês tem futuro rapazes !

    PS.: Micael fez o Tadashi parecer inteligente.

  3. Tadashi 17/11/2008 - 21:14

    Róv não saiu do 1/3.
    ASUAHUSHAUSHAUHS

  4. Conradub 17/11/2008 - 21:33

    comentar sobre a poesia numa maneira negativa é a coisa mais ridícula que um crítico pode fazer, ela é interpretada e criada de inúmeras formas levando em conta a intuição e a sensação, então se limitem por favor a falar de ROCK, porque do resto precisa entender antes de julgar.

  5. GIL 17/11/2008 - 23:13

    Vai se fuder você e sua poesia, seu merda.

  6. Victor Soares 17/11/2008 - 23:42

    poorra,nem tocaram no nome de infinitas possibilidades,pra mim é uma das melhores,a melodia,os efeitos eletronicos nela,aquela final eletrizante,tem um gás,uma energia muito boa,é de encher os olhos

  7. Felipe 18/11/2008 - 11:03

    ‘ acho que vocês ouviram o Polisenso pensando no CD do Ramirez ¬¬

    - o Polisensoo é foda
    eu sei que isso vocês concordam ~(;

    ‘ Abrá!

  8. dudu 18/11/2008 - 19:37

    achei as ciriticas um tanto exageradas. Não quanto as musicas mais quanto as letras.
    No mundo em que vivemos quanto mais flod de mensagens como conciencia humana melhor
    Forfun…
    Não acho q suas musicas vão mudar o mundo, mais fazem a parte deles enquanto nois criticamos =)
    achei um passo “imensuravel”(naum achei a palavra ;p) do forfun levando em conta o publico que suas musicas atingem
    “Duas libélulas passaram, voando e anunciando a melodia celeste”
    acho que tem todo um lado espiritual nas musicas novas do forfun, não seria so critica social e sim aprenda a viver com o espirito dar valor a coisas simples. talvez seu filho eskute essas musicas e nem saiba oq eh uma libelula (=
    eh so um ponte de vista claro ;p

  9. nayara 18/11/2008 - 20:50

    Ai ai eu acho totalmente comum alguem mudar seu modo de ver as coisas.Acho que se ficarmos sempre com a mesma forma de ver e pensar sem mudanças ficaremos escravas deste “modo de vida”.
    Não critiquem qm “adere” á mudança mais sim quem fica escrava é escrava de pensamentos comuns…

  10. Suzana Carrascosa 19/11/2008 - 09:39

    SÓ SEI UMA COISA: MICAEL É REI! =)))
    BEIJOMETUITA!

  11. Marina 19/11/2008 - 20:34

    eeu adorei o cd novo, do começo ao fim… eles são demais, sem contar que as letras tãão beeeeeeem melhores! Eles parecem mais maduros, o ritmo meio levado pra reggae caiu super beem! O cd tem uma energia maravilhosa. Forfun é Forfun ne, precisa falar mais?

  12. le 19/11/2008 - 21:59

    voces se contradizem o texto inteiro,mais tudo bem,no veredito final deu pra intender bem melhor a opiniao de voces!

    e que eu gostei muito desse cd do forfun,eu gostei,viu. achei bem diferentes dos outros,principalmente nas melodias,ritmos e eletronicozinhos. foi muito bem jogado em casa musica! e uma coisa,achei um cd bem brasileiro :)

  13. João 20/11/2008 - 21:34

    Bem, não sei porque parei aqui.. mas acabei parando e lendo…
    Toco guitarra e bateria, e gosto muito de música.
    Sou eclético, portanto ouço desde… pagode até algum som mais pesado.
    Forfun é uma banda que para mim, amadureceu demais.
    Óbvio que, como eu acompanhava a banda desde muito tempo atrás, sabia que o polisenso viria repleto de críticas e uma pegada bem diferente do teoria dinamica gastativa. Não me surpreendi pelas letras, mas sim pela melodia e harmonia do CD em si. A música está bem mais madura.
    Quem sou eu para falar, mas na minha opinião, o Danilo poderia trabalhar um pouco mais nos solos, mas até então, todo ponto de vista é visto de um ponto!
    Concordo com os dois. “mas como tudo que se exagera, enjoa.” Aí é SUA opinião, deixe isso bem explícito.
    Eu concordo com você. Quando estou cantando essas músicas eu fico pensando “eu não penso 100% assim”, mas acabo cantando pela melodia da música. E também acho que o tema esta repetitivo, mas é o que eles pensam, e é o que eles querem passar! Então, que exagerem mesmo!

    “Mas não desista! Aprecie “Polisenso”, mas com bom senso e moderação.”
    Não acho legal esse comentário. Hehe
    Não desista do que? Isso seria uma frase para você, e para alguém que, ao ler, concordou plenamente com você. Críticas, para mim, devem ser construtivas, sem se levar algum ponto de vista. É difícil, eu faço isso também, mas mesmo assim. Não sei se entendeu o que quiz dizer.

    Bem… pra resumir, eu praticamente concordo com vocês, mas só não achei legais e construtivos esses comentários.

    Obrigado!

  14. Renata 21/11/2008 - 12:00

    Eu queria saber aonde eu posso comprar esse CD do forfun – Polisenso???

    me avi se por e-mail, por favor!

    Obrigada!

  15. kelly 21/11/2008 - 14:13

    Cd tah fodaa !!!
    melhor musik pra mim é ‘cósmica’
    (:

  16. JohnZiin Strondaa 22/11/2008 - 20:37

    prefiiro o últiimo cd da banda,
    mas esse tá maiix maduro, inteligente,
    não é mnt a cara do forfun, mas tá valendoo,!
    mii amarreii,
    FORFUN ♥

  17. Anaa 29/11/2008 - 13:19

    Pra mim, o CD novo do Forfun está muito bom.. NA primeira vez que eu ouvi, não gostei muito, pois eles mudaram muito o ritmo de suas musicas.. Mais depois da segunda vez, já me acostumei. O Danilo está Otimo, e o Rodrigoo também. Aliás eu amei o CD novo, e a melhor música concordando com o Tadashi sim é Cósmica, que veio com uma letra diferente das outras, junto com Eremita Moderno, uma música que eles fizeram muitoo beem! Aliás, Forfun é minha banda preferida..Amei o Cd novo.. ♥

  18. Rodrigo (Digo)* 8/12/2008 - 23:06

    Forfun é foda,tocam muito!.. os ‘criticos’ fuck all ¬¬’

  19. Rodrigo (Digo)* 8/12/2008 - 23:08

    Forfun é dimais ;D

  20. Luedy 10/12/2008 - 11:15

    eu axei q cosmica ficou mais pra caetano veloso doq jorge vercilo! e sem duvida as melhores são erita moderno e o viajante! em erimita moderno eles conseguiram fundir o papo cabeça com akela alma jovem de “Trajava sunga, e nunca usara um terno
    Pensava ser um eremita moderno.”

    no mais o cd tah bom…cheiu de bizarrisses mais bom!

  21. Catharina 23/12/2008 - 15:50

    Achei um ótimo CD. Sei que não sou apaixonada por CDs, mais sim, é um dos melhores que eu já tive o prazer de apreciar.

    POLISENSO SE CONCRETIZOU, nasceu.

  22. Tadashi Oshiro 25/12/2008 - 23:12

    Como um comentário não vai aprovado mesmo, eu adianto: Fiz aulas de escaleta quando criança.

  23. KaH 31/12/2008 - 15:06

    AMEEEEEIII!!!!
    Amooo Forfun…e qnd eu axava que não tinha como ficar melhor v6 me surpreenderam…poxa…eu e uma amiga minhas xegamos um dia cantando as músicas do polisenso na escola todo mundo gosto e espalho do nada na escola intera as músicas de v6…até uma professora nossa gosto do som que v6 fazem…até a minha mãe ouve forfun (mais do que eu se deishar)!!!!!!!!
    Caraaa eu tenho que agradecer muuuito a banda…cada música de v6 me traz lembranças magníficas…e todas me fazem lembrar do melhor dia da minha vida…digo…melhor noite…qnd v6 vieram na minha cidade…nossa foi um sonhO…foi o show do ano…nom foi um show…foi O SHOW!!!
    ahhh…não existem palavras pra dizer o qnt eu gosto do som de v6…
    MUUUITO SUCESSO a bandaaa…

  24. lucas 5/01/2009 - 23:24

    esse cd e estas musicas são coisas que eu nunca pensei em ouvir, ainda mais vindo do Forfun que era tão ‘juvenil’ a um ano atraz, mudança legal, e meu ponto de vista muda a cada dia que eu ouço um certo tempo uma ou outra musica desse cd novo, opiniões a parte a minha é o seguinte, evolução absurda .

  25. Rodrigo (Digo)* 5/01/2009 - 23:31

    primeiro coments de 2009 \o//
    que esse ano seja bom dimais pra vcs aew galera do forfun ;D
    continuem passando as boas ideias nas musicas e som sempre pra cima tall..

    Abraz ;D

  26. lais 14/01/2009 - 11:54

    Realmente, eu senti uma mudança gigantesca nas letras do TDG para o Polisenso, eles evoluiram bastante, e eu gostei muito mesmo, de todas, diferente de alguns CD’s que tem uma ou duas musicas legais, forfun fez um cd PERFEITO. Só espero que não volte a virar modinha, pq aí vai ser uma MERDA.
    Isso é um FATO

  27. Marina 23/03/2009 - 20:50

    eu realmente percebi uma mudança muito significativa nas letras e nos arranjos das musicas do polisenso, mas estão todas otimas, eles como sempre arrasando nas letras e nos arranjos, nada a reclamar. polisenso arrasando!

    abraz brothers ;D

  28. sammy 11/04/2009 - 18:31

    o album todo é demais… e concordo que cósmica é a melhor musica do album, arrepiante mesmo fora do comum

  29. rack 19/04/2009 - 20:35

    acho que o forfun evoluiu bastante em todos os termos, eles deixaram de ser meros ‘ garotinhos ‘ no qual só falavam de amor, ela me deixou ou vou deixar ela pq sou um cretino para dar mais atenção ao problemas atuais que realmente importam .. o cd realmente está MUITO evoluido e MUITO bom, de verdade, letras que envolve bastante problemas sociais e que , pra mim, deve ser vista como uma mensagem boa, que eles passam sem perder o ritmo e a carisma . Afinal minha musica preferida é eremita moderno ;]

  30. paulo henrique 10/07/2009 - 19:01

    o novo disco do forfun é simplesmente foda,tanto na sonoridade quanto nas letras.OS duetos de danilo e rodrigo estão melhores ,sabendo explorar bem os vocais,rodrigo ta mandando muito no baixo e danilo na guitarra,fora a batera inconfudível de nikolas e as pirações eletrônicas do vitor.eles souberam usar muito bem a misturas de estilos:reggae,dub e metal com as bases eletrõnicas,tudo perfeito.As melhores músicas do disco são:”o viajante”,”infinitas possibilidades”,”cósmica” e ”dia do alívio”

  31. Macedo 20/02/2010 - 15:58

    Vish,… o Cd todo nem se fala, bom a bessa.. mais falar em musica boa, diga então “Suave” q de suave só o nome msm. ;D
    Além de toda sua vibe interamente concreta de pensamentos positivos, Tem um instrumental totalmente fora do serio ow !! Bota alguém pra canta e toca um baixo ao mesmo tempo em vários contra-tempos! Isso sim é um cd bom viu..

    Transpareça e se esqueça.. Preste atenção na letra e viaje no som, Pois vc tem em suas mão o abstrato e o concreto! ^^

    E vá pra p..q p.. com um instrumetal fudido igual colírio, acho q mais uns 10 anos de treino eu tiro a tecnica do chimbal ;* Morada extra tá dimais.

  32. Moniquee 7/05/2010 - 20:40

    Sinceramentee gosto mais das antigas . O novo CD não m,e agradoor muito não :) Mais sempre vou ser uma eterna fã de FORFUN sz ‘

  33. Natália 23/05/2010 - 19:28

    Quem assume os vocais em eremita moderno é o vitor e não o rodrigo :}

Deixe seu comentário

Aviso:

Não serão aceitos neste blog comentários ofensivos. Você tem toda a liberdade de discordar dos assuntos e opiniões aqui tratados, mas faça isso como gente grande.

2007-2017 Alguns direitos resevados via Creative Commons
Tema RockinChrome designed by Cory Miller